Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

A Verificação dos Tacógrafos 

            O cronotacógrafo é um equipamento obrigatório para veículos que fazem transporte de passageiros e de carga e sua utilização é fiscalizada pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial), que é o órgão federal e pelo Ipem (Instituto de Pesos e Medidas), que é o órgão estadual. A regulamentação da lei obriga as empresas e proprietários de veículos de transporte a fazer a verificação do funcionamento do tacógrafo a cada dois anos em oficinas e postos de ensaios credenciados pelos órgãos públicos. 

           O equipamento é mais conhecido como tacógrafo e faz o registro de tempo e velocidade, possibilitando o acesso de informações sobre os veículos que são importantes para controles nas empresas e em investigações oficiais. O equipamento foi inventado no século 19 para análise da velocidade dos trens e depois passou a ser o responsável por reprimir o excesso de velocidade em veículos automotores, proporcionando maior controle de frota e segurança nas estradas e no trânsito das cidades. Com os dados da viagem e do percurso gravados no disco do tacógrafo é possível fazer avaliações de procedimentos de motoristas e até de consumo de combustível, através do cruzamento de outras informações, como o marcador do tanque de combustível e da quilometragem. 

           O último prazo para a regularização do equipamento para os veículos de transporte de passageiros se encerrou em 2010 e esse ano começou a vencer os prazos para os veículos de transporte de cargas, de acordo com o escalonamento do mês referente ao último número da placa de cada veículo. Quem não fez a verificação do tacógrafo está irregular e se for flagrado durante fiscalização pode receber multa que varia de R$ 50,00 a R$ 50 mil, conforme o julgamento de cada caso. Para quem perdeu o prazo, a verificação ainda pode ser feita sem o pagamento de multa adicional por atraso. 

           O sistema de verificação do tacógrafo é simples e as informações estão disponíveis no site do Inmetro: http://cicma.inmetro.rs.gov.br/cronotacografo/, que apresenta a legislação, a lista de oficinas de manutenção e postos de ensaios credenciados. No site é possível fazer a impressão da Guia de Recolhimento da União (GRU) e consultas sobre a situação do veículo. O site do Ipem (http://www.ipem.sp.gov.br/), que é um instituto do Governo do Estado de São Paulo, também traz informações importantes sobre a verificação dos equipamentos. 

           Os tacógrafos podem ter sistemas digitais, eletrônicos ou mecânicos. Há alguns modelos exclusivos de fabricantes de ônibus e caminhões, como os utilizados em alguns modelos da Volvo.  São várias marcas de tacógrafos existentes no mercado, como a Veeder-Root, Seva, Fip e VDO, que á a mais vendida. Para fazer a verificação obrigatória, primeiro os proprietários dos veículos devem fazer uma manutenção no equipamento, procurando as oficinas autorizadas e especializadas da marca do tacógrafo utilizado. As oficinas também devem ser credenciadas no Inmetro para o procedimento de selagem dos tacógrafos e de lacração do câmbio. Somente depois desses procedimentos e do pagamento da taxa com a guia GRU, no valor de R$ 149,00, o veículo pode ir para o posto de ensaio fazer o teste metrológico de rodagem. É importante o tacógrafo estar funcionando perfeitamente antes do ensaio, porque se for reprovado, deverá ser feito outro teste com o pagamento da taxa novamente. 

Etapas da Verificação 

           Nas oficinas autorizadas e credenciadas, o tacógrafo é retirado do veículo e vai para o teste de bancada, quando o equipamento grava um disco com as informações do teste. Se estiver calibrado e funcionando corretamente, os técnicos das oficinas fazem a selagem, com selos numerados do Inmetro que são afixados em várias partes do equipamento. Depois o tacógrafo é reinstalado no veículo, onde é colocado um lacre de acrílico próximo ao câmbio. 

           Em 2010 começou a valer uma nova determinação para as empresas de transportes de passageiros e de carga, com a obrigatoriedade do envio do registro do disco do tacógrafo feito no sistema de rolagem em postos de ensaios credenciados para a aprovação do Inmetro. Após o pagamento da taxa constar no sistema informatizado do Inmetro, o veículo vai para o posto de ensaio metrológico, onde faz o “teste de rolo”, que registra a velocidade e o tempo da rodagem. O resultado é gravado por um equipamento que emite um laudo e é registrado no disco do tacógrafo do veículo. 

           Depois todas as informações são enviadas pelo correio para o Inmetro, com os discos dos testes gravados pelo tacógrafo, os gráficos da rodagem, as cópias dos documentos do veículo e da guia de recolhimento da taxa. Em um prazo de 30 dias, o certificado é enviado para o proprietário e o resultado passa a constar no sistema digital do Inmetro, que publica o certificado definitivo no caso de aprovação. A verificação do tacógrafo tem validade de dois anos e o vencimento é de acordo com o mês referente ao último número da placa.           

Oficinas e Postos de Ensaio           

           No Estado de São Paulo existem 204 oficinas e 27 postos de ensaios autorizados pelo Inmetro para fazer a verificação dos equipamentos. Para fazer o credenciamento, o Inmetro realiza auditoria nos estabelecimentos e depois publica na relação dos credenciados. As oficinas fazem a manutenção do equipamento e a selagem e os postos de ensaios fazem o teste metrológico de rolagem.  A revista Fretamento entrevistou alguns proprietários de oficinas e técnicos da região de Campinas e Jundiaí. Veja a seguir alguns depoimentos e comentários de experientes especialistas em cronotacógrafos: 

           “Atendemos conforme a demanda do cliente, com uma média de 40 veículos por dia e estamos há 36 anos no mercado. Temos um horário bem extenso, das 7h30 às 22h, para atender os veículos que trabalham durante o horário comercial. Trabalhamos em todos os veículos, ônibus, vans, caminhões, inclusive somos os únicos que trabalham com caminhão traçado, que é mais difícil porque não há o rolo do Inmetro e é um trabalho muito especializado e de muita responsabilidade. Não há mão de obra especializada no mercado e é necessário formar o técnico. Para formar um bom profissional, só o tempo e a experiência na prática. Há diversas formas de fazer a inspeção. Algumas firmas têm o próprio mecânico de tacógrafo que faz a manutenção. Para subir para o ensaio o tacógrafo tem que estar 100%. Quando o conserto é feito na nossa empresa nós garantimos e se não passar no ensaio, a gente paga a taxa se for preciso. O preço da manutenção varia conforme o defeito, desde a troca de agulhas até a parte eletrônica, a parte de relojoaria, de mecânica e digital. As empresas não cobram nada para fazer o ensaio, a taxa é recolhida para o governo e as empresas credenciadas recebem comissão por veículo e volume de trabalho.

José Reis Leme

Assessórios 3 vias / Jardim Nova Aparecida – Campinas 

 

“A cada dois anos deve ser realizada a aferição, lacração, selagem e ensaio, sendo que a data limite para o segmento de fretamento de passageiros já expirou. A Portaria 368/09, que estendeu o prazo determinado na Portaria 444/08, determina como prazo máximo o mês de novembro de 2010. Quem não realizou pode ter o veículo apreendido ou multado. O Inmetro credencia as empresas, como por exemplo, a ViTrans, para realizar as inspeções, selagem, lacração, e estas informações são analisadas eventualmente quando em fiscalização do IPEM. Um posto de ensaio credenciado faz todo o processo de ensaio, selagem, lacração, aferição, manutenção e venda de peças. Os postos de selagem somente realizam alguns tipos de serviços, sendo limitados inclusive a marca do tacógrafo, não realizando ensaios. Para a verificação, inicialmente o interessado deve preencher e recolher a GRU e em seguida procurar uma oficina cadastrada ou um posto de ensaio credenciado para selar e lacrar o instrumento. É sempre bom agendar um horário para evitar filas de espera. O veículo deve ser então ensaiado, isto só pode ser feito no posto credenciado, este ensaio é realizado em um equipamento simulador de pista, em rolos de ensaio que simulam uma velocidade media de 50 quilômetros por hora e o operador não tem como influenciar no resultado.

            No ensaio é emitido um Certificado Provisório com 90 dias de validade. Os dados do ensaio são encaminhados ao IPEM/SP para análise, se aprovado o usuário receberá via correio o Certificado de Verificação do instrumento com validade de dois anos. Recomendamos aos usuários não deixar para a última hora para realizar o ensaio, pois, poderão enfrentar filas, sempre é bom consultar o endereço eletrônico do Inmetro para verificar os prazos de vencimento das verificações, evitando assim transtornos com as fiscalizações que estão ocorrendo em todo o país.”

Marco Antonio Turini e Edson Pappa

ViTrans Cronotacógrafos / Caxambu – Jundiaí 

 

           “Somos credenciados no Inmetro como oficina autorizada VDO e Posto de Ensaio de Cronotacógrafos. Nós prestamos serviços de manutenção, aferição de tacógrafos além de comercializar e instalar acessórios como sirenes de marcha ré, faixas refletivas, lonas, adesivo, etc. Temos uma ampla área de estacionamento, equipamentos modernos para manutenção e aferição, além do que mais prezamos que é o diferencial no atendimento. O defeito que mais ocorre é o desalinhamento e quebra das agulhas de registro presentes nos tacógrafos, isso na maioria das vezes se deve ao descuidado no manuseio do tacógrafo e da própria falta de manutenção. A oficina é cadastrada desde maio de 2010 e o posto de ensaio de cronotacógrafos foi credenciado ao Inmetro em junho de 2010. Existem padrões e normas muito rigorosas a ser atendidas, toda a estrutura foi avaliada pelo Inmetro além de estarmos dispostos a auditorias periódicas. Hoje nossos clientes estão concentrados em empresas de transporte coletivo e fretamentos, além dos autônomos atuantes no sistema de transporte escolar. Para a aferição utilizamos aparelhos calibrados na RBC do Inmetro, o processo dura em torno de 20 minutos, mas é importante se levar em conta que anterior a este processo normalmente é feita uma revisão, limpeza e conserto do tacógrafo para garantir a sua plena funcionalidade e precisão durante o ensaio normatizado pelo Inmetro. E para  que tudo isso seja feito, o tempo total dura entre uma hora e uma hora e meia por veículo. Caso o proprietário opte por apenas lacrar e ensaiar o veículo, o tempo total se reduz a 30  minutos. Realizamos este serviço em aproximadamente 15 carros por dia, mas temos capacidade para atender o dobro. Gostaria de ressaltar que é imprescindível que a pessoa que procura pelo serviço de aferição e manutenção de tacógrafo utilize a rede autorizada do fabricante, pois assim fica mais fácil de o mesmo exigir seus direitos de garantia, como o pagamento de uma segunda GRU, no caso de acontecerem eventuais reprovações do Inmetro, uma vez que a pessoa pagou pelo serviço de manutenção e aferição do seu tacógrafo e o mesmo não apresentou condições satisfatórias de funcionamento no ensaio do Inmetro.”

Juan Trevizan Andreotti

JRA Comércio de Tacógrafos / Chácara das Nações -Valinhos  

 

            “Fazemos todos os tipos de serviço de tacógrafos, de manutenção e vendas. Os tacógrafos, na verdade, apresentam poucos defeitos, porém o mais comum é no tacógrafo mecânico, com o defeito no magnético e a quebra de cabo. Já para evitar esses problemas usar cabos 5m/m com fabricação e qualidade boa e usar disco de boa qualidade no carro. Somos credenciados Inmetro há três anos e trabalhamos com todos os veículos, da linha leve e linha pesada. Temos muitas dificuldades para conseguir um técnico de tacógrafo, precisamos contratar pessoas e investir nelas, fazendo curso de elétrica e às vezes de mecânico.” 

Roque de Jesus Barbosa

Cristina Bispo da Silva Tacógrafos / Jardim do Lago – Campinas

 

Voltar

Este post foi curtido 9 .

Comentários fechados!